terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Os presentes de Jesus

Você já pensou nos presentes que entregaram a Jesus quando ele nasceu? 
Ouro todos nós sabemos o que é e para que serve. Um presente para um rei! 
E o incenso? Os magos o reconheceram como um sacerdote!
E a mirra? Era usado para embalsamar cadáveres. Como assim? 
Dar um presente desses para um bebê? Isso mesmo! 
Sua missão estava clara! Depois da manjedoura haveria uma cruz! A morte substitutiva. É por isso que você deve celebrar o Natal Ele se entregou por nós, nos livrando da condenação eterna!

Feliz Natal a todos os meus amigos!
Rev. Sandro M. Viana



Licença Creative Commons
Os presentes de Jesus de Sandro M. Viana está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://www.sandroviana.com/2013/12/os-presentes-de-jesus.html.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://www.sandroviana.com.

Entre magos e reis uma reflexão sobre o Natal

Os magos ou mágicos não eram nem judeus e nem cristãos poderiam ser no número de 12 a 11, porém pelos presentes dados uma lenda datada de 735 D.C descreve três reis magos. Melchior homem idoso, de cabelos brancos e longas barbas que ofereceu ouro como presente. Gaspar seria jovem, sem barba e de compleição vermelha, ofereceu incenso; Baltazar de pele negra e barba cerrada ofereceu mirra. 

A estrela não era o cometa Halley, mas poderia ser uma conjunção dos planetas Júpiter e Saturno fenômenos estudado pelo cientista Johannes Kepler. 
Os magos por serem astrólogos quando perceberam a primeira formação dos planetas no oriente foi há sete meses por três horas antes do por do sol gastando cinco meses ou mais  para irem de Babilônia a Jerusalém.
Belém, o nome significa casa de pão, o que indica a fertilidade da região. Uma cidade que ficava a poucos quilômetros ao sul de Jerusalém. Foi descrita Efrata para não ser confundida com outra cidade chamada de Belém que localizava-se em Zebulom (Josué 19.15).

Herodes não era um prenome de uma pessoa e, sim, um nome de família. Pertencia a todas as gerações da casa ou dinastia dos Herodes. Não eram judeus, mas indumeus. O rei Herodes, o Grande, filho de Antípater era um obstinado e sádico assassino. Reinou sobre os judeus por 36 anos. Ordenara a morte dos filhos e de sua esposa favorita Mariamne. Todos os profetas já anunciavam o nascimento do messias, porém a nação de Israel foi lembrada pelos gentios que seguiam uma estrela. Herodes busca entre os principais sacerdotes no sinédrio alguma informação sobre o nascimento de Jesus o Cristo. 

Você entende o que canta?

"Música para compor o ambiente Música para escovar o dente Música para fazer chover Música para ninar nenê Música para tocar...