terça-feira, 28 de outubro de 2014

Brasil Mostra a Tua Cara

"Assim também, a língua é um fogo; é um mundo de iniqüidade. Colocada entre os membros do nosso corpo, contamina a pessoa por inteiro, incendeia todo o curso de sua vida, sendo ela mesma incendiada pelo inferno".  Tiago 3:6

Pós-eleições vemos todos os tipos de sentimentos sendo regurgitados pelas redes sociais. É uma catarse num grande pântano de declarações odiosas, preconceitos, revanchismos, vinganças, racismo, intolerância, desejo homicida e sectário de superioridades raciais e sociais.

Em junho na Copa do Mundo o Brasil estava unido cantando o hino nacional celebrando as conquistas e chorando as derrotas, o poeta Renato Russo já cantarolava:

“Vamos cantar juntos
O hino nacional
A lágrima é verdadeira”

Hoje o velho brocado denuncia: “A boca fala do que está cheio o coração” O teatro dos horrores é a pura e evidente exposição daquilo que as pessoas trazem no mais profundo suas intimidades. Elas são o que de fato declaram! Sua visão de mundo, vida e fé. São amostras grátis do que da fato são por aquilo que dizem e pelo que escrevem.

O que mais impressona é ver os que "estão" na função de pacificadores e anjos da noiva de Cristo ateiam fogo estranho na sera santa onde há poucos trabalhando dura e honestamente.   

Não se assuste com este grande divã  ou confessionário virtual chamado de Internet! É por essas coisas que vemos a fé e o amor! 


Rev. Sandro M. Viana (Primavera de 2014 - Natal/RN) 
Licença Creative Commons
O trabalho Brasil Mostra a Tua Cara está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://www.sandroviana.com/2014/10/brasil-mostra-tua-cara.html.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Rebordosa eleitoral

Quero neste post dialogar de forma madura e cristã o que muitos perderam para o momento, pois estão cegos a ponto de perderem a capacidade mínima de raciocínio. 

Lamentavelmente a fé torna-se inútil quando não consegue trazer clareza de vida e precisamos apelar para os argumentos mínimos de razoabilidade.  

Um dia depois das eleições ficou o rastro de meses de debates e discussões eleitorais. São santinhos, panfletos jogados ao chão. Toneladas de lixo eleitoral e também muitas mágoas, culpas, desavenças, inimizades, rancor, lides jurídicas, etc.

Durante este período por respeito aos meus amigos, familiares e irmãos da igreja onde sirvo não manifestei se quer uma vírgula, minha posição política só interessa a mim mesmos, pois acredito que todos nós temos o direito de fazermos nossas escolhas livremente, porém estes dias puseram a prova a fé de muita gente. O tipo e o nível de muitos cristãos foram revelados diante das telas, de textos e comentários nas redes sociais.

Nunca os evangélicos foram tão observados e medidos como foram nestes últimos dias. Os princípios mais básicos da fé bíblica cristã como o domínio próprio a mansidão a tolerância a honestidade foram colocados de lado em prol de uma causa maior, a política.

As manipulações e todos os tipos de manchetes mesmo que fossem indícios eram postadas e repostadas por ávidos incendiários com vídeos, fotos e textos editados não tomando devido cuidado de consultar as fontes fidedignas. Muitos perderam suas estribeiras, desiquilibraram-se chegando as raias da insana loucura odiosa a ponto de praguejarem, difamarem, mentirem, e beiraram palavrões.

Lamentavelmente o amor cristão em nossos dias tornou-se tão volátil que é necessário apelar para a civilidade, urbanidade e educação cidadã, mas nem isso por vezes resolve. Há pessoas que agem abaixo dos instintos mais animalescos.  Sinceramente fiquei assustado!

The Day After ( O dia seguinte)
Depois deste período de eleições muitos voltarão com remorsos ou cinicamente se comportarão como se nada houvesse acontecido e tentarão assoprar onde feriram! As áureas angelicais e a fala mansa voltarão a persuadir.

Ficou muito clara neste período político a posição da igreja evangélica sua militância sua mobilização com afinco e dedicação divulgando suas aguerridas, apaixonadas e inflamadas defesas ideológicas onde professaram declaradamente em alto e em bom som no que acreditam.

Nunca o cristianismo dos nossos dias foi tão pregado naquilo que professamos politicamente!

Cabe uma pergunta diante disso tudo: Temos a simplicidade das pombas para anunciar o amor de Deus a esperança e a Graça mesmo em épocas e ambientes de discordância? (Período politico?) Há uma disposição de abrir mão de convicções políticas para pregar a Cruz de Cristo?

Creio e obedeço (vivo) a soberana vontade divina mesmo que para mim aparentemente acredite que governos estejam em desacordo de minhas posições politicas, pois não há um milímetro sequer que não esteja no controle de Cristo.

Pense:
“Assim diz o Senhor ao seu ungido: a Ciro, cuja mão direita seguro com firmeza para subjugar as nações diante dele e arrancar a armadura de seus reis, para abrir portas diante dele, de modo que as portas não estejam trancadas” Isaías 45:1

“Disse mais o Senhor a Moisés: "Quando você voltar ao Egito, tenha o cuidado de fazer diante do faraó todas as maravilhas que concedi a você o poder de realizar. Mas eu vou endurecer o coração dele, para não deixar o povo ir”. Êxodo 4:21

Rev. Sandro M. Viana




Licença Creative Commons
O trabalho Rebordosa eleitoral de http://www.sandroviana.com/2014/10/rebordosa-eleitoral.html
 está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional 

sábado, 4 de outubro de 2014

O vírus da corrupção

Há muitas pessoas adoentadas pelo vírus da dengue e que por negligenciarem a limpeza de suas casas deixaram suas obrigações por preguiça, omissão e covardia e pagam com suas vidas sabendo o que deveriam fazer não o fizeram! Assim o mosquito encontrou dentro da própria casa do moribundo ambiente adequado. Uma arapuca, uma armadilha esperando o tempo exato para se manifestar.

Assim devemos limpar constantemente o cenário político do Brasil. Temos a única obrigação vigilante de escolher políticos limpos. Se assim não fizermos, vizinhos desleixados continuarão permitindo que políticos contaminados pelo vírus mortal das omissões proliferem mortes (violência) ignorância (educação) e descaso com a vida humana de milhões de brasileiros. Não infecte nosso país com a doença da corrupção, vote! Mas vote consciente!


Rev. Sandro M. Viana.
(Natal/RN Eleições 2014) Licença Creative Commons
O trabalho O vírus da corrupção de http://www.sandroviana.com/2014/10/o-virus-da-corrupcao.html está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Já catou feijão?

Quando eu era menino, bem pequenininho, no subúrbio do Rio de Janeiro (Guadalupe) minha amada vó paterna adorava conversar na cozinha com minha mãe.

Ela me colocava em seu colo abria um saco de feijão e espalhava-os em cima da fórmica da mesa e começava a prosa. Pacientemente ela separava as pedras os feijões estragados e as palhas.

Hoje precisamos pacientemente cata os candidatos e separar dos gorgulhos. Precisamos de paciência e muita sabedoria, pois se não escolhermos certo seremos jogados na lata do lixo.


Rev. Sandro M. Viana (Natal/RN - Eleições 2014) Licença Creative Commons
O trabalho Já catou feijão? de http://www.sandroviana.com/2014/10/ja-catou-feijao.html está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

O Caricato Sagrado

"Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo". Hebreus 1.1-2 (RA)
Afirmar que a Bíblia é única regra de fé e prática é crer e viver somente por seus ensinos a ponto de não precisamos de nenhum elemento extra que venha complementá-la. Ela é única, suficiente e infalível para garantir a sobrevivência da fé dos cristãos! A Bíblia é referencial que está acima de qualquer crendice ou fenômeno místico supersticioso não necessitando mais de novas revelações, profecias e sonhos.

É importante lembrar que não somos como Moisés, Daniel, os profetas Paulo, Pedro os apóstolos e os todos que escreveram a Bíblia, pois estes foram inspirados. Deus neste período falava através de sonhos ou diretamente em seus corações, pois a revelação estava sendo progressivamente anunciada.
O espírito Santo mora em nós e por isso hoje somos iluminados e compreendemos a Bíblia através de sua ação.

Os novos convertidos que adentram as igrejas estão carregados de superstições e estruturas religiosas que estão arraigadas por décadas em seus Corações. Possuem uma boa intenção e vontade de trabalhar, mas é necessário caminhar junto para aprenderem a orar, estudar e crer na Bíblia deixando de lado todo e qualquer suporte que não seja as Sagradas Escrituras.

Acredito que o misticismo dos cristãos que arrombou as portas das igrejas evangélicas causando vergonha e estranheza em vídeos bizarros e hilários postados nas redes sociais ocorre pela ignorância, desconhecimento dos princípios mais básicos da fé cristã. A banda cristã Palavra Antiga já denuncia:

“É que o sagrado se tornou hilário
...
E agora tanto faz o que é sagrado
Nada importa se isso tudo não for antes santificado
Bem no interior do meu peito deserto”.
  
A vergonha cristã dos nossos dias que desacredita a mensagem da Graça é justamente vinda de dentro da própria igreja! 

Sola Scriptura! 
Licença Creative Commons
O trabalho O caricato Sagrado está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://www.sandroviana.com/2014/09/o-caricato-sagrado.html.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

A parábola do bom palestino

Um importante e fervoroso sacerdote mestre da Lei se levantou e, querendo encontrar alguma prova contra Jesus, perguntou: 

“Mestre, o que devo fazer para conseguir a vida eterna?” 

Jesus respondeu: “O que é que as Escrituras Sagradas dizem a respeito disso? E como é que você entende o que elas dizem?”

O sacerdote respondeu: “Ame a Deus, com todo o coração, com toda a alma, com todas as forças e com toda a mente. E ame o seu próximo como você ama a você mesmo.” 

“A sua resposta está certa!” — disse Jesus. — “Faça isso e você viverá”. 

Porém o mestre da Lei, querendo justificar-se, perguntou: “Mas quem é o meu próximo?” 

Jesus respondeu assim:

Após uma semana árdua de trabalho humanitário numa escola em Jerusalém um homem (judeu) indo a caminho para sua casa na Faixa de Gaza foi furtivamente alvejado por estilhaços de concreto de um prédio atingido por um míssil lançado de um avião supersônico israelense.

Na correria do resgate a crianças e mulheres o homem ficou esquecido debaixo de lajes e escombros gemendo com seu corpo dilacerado e ensanguentado por horas esperando ajuda. Passa por perto daquele moribundo um aparamentado importante sacerdote que descia por aquele caminho, vinha do templo quando ouviu e viu o homem agonizando, fingiu atender o celular e passou pelo outro lado da estrada não querendo sujar sua indumentária. Também passou por ali um premiadíssimo cantor pop religioso. Olhou e também foi embora pelo outro lado da estrada. Mas um palestino que estava viajando por aquele caminho chegou escutou o gemido. Quando viu o homem, teve grande misericórdia dele. Então se aproximou dele e cavando com a mão retirou pesados escombros e limpou os seus ferimentos em seguida o enfaixou. Depois disso, o palestino colocou-o na sua caminhonete e o levou para um hospital em Hebron, onde foi internado em estado grave. No dia seguinte, o palestino pagou o hospital particular com seu cartão de crédito com uma semana antecipada aquele desconhecido, dizendo aos médicos: — Tome conta dele. Quando eu passar por aqui na volta, pagarei o que vocês gastarem a mais com ele.

Então Jesus perguntou ao mestre da Lei: — "Em sua opinião, qual desses três foi o próximo do homem ferido?"  “Aquele que o socorreu!” — respondeu o mestre da Lei.

 E Jesus disse: “Pois vá e faça a mesma coisa”.

Parabolando por Rev. Sandro M. Viana. Evangelho de Lucas Cap. 10:25-37 Licença Creative Commons
A parábola do bom palestino está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://www.sandroviana.com/2014/08/a-parabola-do-bom-palestino.html.

Você entende o que canta?

"Música para compor o ambiente Música para escovar o dente Música para fazer chover Música para ninar nenê Música para tocar...