terça-feira, 5 de outubro de 2010

Quem vê cara não vê coração

“o SENHOR não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o SENHOR, o coração.” 1Sm 16:7 ARA
No Século passado (XX) a humanidade aprendeu a voar com máquinas mais pesadas que o ar, explorou o Espaço Sideral, desenvolveu técnicas cirúrgicas complexas, criou vacinas e remédios, exterminou doenças, globalizou-se através dos satélites, porém com todo o aparato tecnológico o comportamento humano é um mistério. O filósofo francês Blaise Pascal declarou: "O coração tem razões que a própria razão desconhece"

Diariamente testemunhamos a violência urbana e doméstica expostas nos meios de comunicações . A prática de transgressões conscientes e a frieza de corações insensíveis é prova de como anda a cabeça das pessoas. O comportamento humano nunca foi tão analisado como nos nossos dias. As instituições de ensino esmeram-se arduamente na tarefa do ensino da cidadania, porém os resultados são tímidos. As injustiças sociais frutos da corrupção da natureza humana afronta diretamente a razão e a lógica. Diante deste retrato social como responder biblicamente sobre o comportamento humano?

Os estudiosos do comportamento, filósofos e psicólogos tentam explicar este comportamento transgressor. O filósofo John Locke acreditava que o homem nascia como uma lousa em branco (“tabula rasa”) de inocência. Para Rousseau “o Homem nasce bom e a sociedade o corrompe”. Com o passar do tempo essas teorias ficaram obsoletas. A Bíblia com muita propriedade trata de forma direta e clara sobre este assunto sob uma perspectiva ético espiritual relacionados com o coração. Sua natureza e as origens de todas as motivações humanas. 


Há uma palavra teológica que classifica o ser humano como "o homem natural", isto é, todos os seres humanos nascem com esta natureza de compreensão que o sentindo de sua existência é vive para atender aos seus próprios interesses, seus prazeres e a busca de sua auto satisfação. É o conceito natural de felicidade humana. Um dos indícios de uma existência para si mesmo está no discurso de livre arbítrio. É uma visão que tenta justificar todos os atos e comportamentos exercidos em nome da livre escolha. Geralmente o resultado deste pensamento/comportamento é a escravidão pelos mais diversos tipos de vícios.


 O ser humano quando não possui domínio sobre seus prazeres facilmente se vicia. O desequilíbrio que é expressado nos comportamentos da pessoas é um indício de um problema que existe desde de o início da humanidade.É uma doença que reside na alma humana, que está enraizada nos corações e hereditária a toda a humanidade. “Porque de dentro, do coração dos homens, é que procedem os maus desígnios (Mc 7:21)
Um doença só pode ser curada quando o médico busca saber qual é a fonte a origem que faz padecer o doente. O pecado que é a fonte de todo o problema ético e moral do homem e que é tratado na esfera da religião. 

Desassociar o homem de sua alma e enxergá-lo somente com um corpo que possui um cérebro com funções psicológica é ter uma visão minimalista da vida. Analisar só o comportamento sem avaliar a origem (alma) é tratar o problema superficialmente.Em Romanos 3:10-11, Paulo afirma: “Não há justo, nem um sequer; não há quem entenda, não há quem busque a Deus”. O Grande rei Davi afirma: “Eu nasci na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe” (Sl 51:5). Jó disse: “Que é o homem, para que seja puro? E o que nasce de mulher, para ser justo? Eis que Deus não confia nem nos seus santos; nem os céus são puros aos seus olhos, quanto menos o homem, que é abominável e corrupto, que bebe a iniqüidade como a água!” (Jó 15:14–16).
O conceito de livre arbítrio do homem natural não lhe capacita a sair das próprias escolhas viciantes feitas em detrimento de sua auto satisfação.

Diante desta realidade ética espiritual como mudar este quadro? 

A ação de Deus nos corações humanos é perceptível quando há o desejo de ver os equívocos da vida e não aceitá-los “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” Rm 12:2


As caras cirrurgias plásticas não removem consciências pesadas, os estilistas não vestem a alma depravada e corrupta, os mais caros perfumes não conseguem disfarçar o mau cheiro das maldades, invejas,  soberbas do coração.


O coração pecador humano é restaurado pelo poder sobrenatural de Deus através da compreensão de realidades espirituais como: reconhecimento que é pecador, arrependimento e perdão mediante a fé. Esta fé olha para a cruz de Cristo e se curva submissa ao senhorio de Jesus.  
Não nos causa mais assombro ver pessoas tão talentosas, inteligentes, bem afeiçoados que tiveram as melhores oportunidades que a vida possa oferecer e se tornaram trangressores. 


Diante de Deus somos todo iguais, pecadores e carecemos a glória de Deus, (Rom 3:23 ARA) necessitados do favor de Deus sobre as nossas vidas. 


Deus olha o coração e não o exterior!

Você entende o que canta?

"Música para compor o ambiente Música para escovar o dente Música para fazer chover Música para ninar nenê Música para tocar...